Quando eu me apeguei a você, meu coração, | Outra foto

12 de janeiro de 2011

R. Mapplethorpe

Sou fã – se é que me posso chamar assim – de Robert Mapplethorpe derna que assisti a uma retrospectiva de sua obra – que se dizia completa – lá pelo início da década de noventa, no Museo Pecci, de Prato, vizinhanças industriais de Florença. Trouxe o catálogo, completo, na bagagem, e ainda hoje o tenho por aí, na estante. Homossexual, outsider, marginal, Mapplethorpe iniciou a sua carreira no que poderia parecer apenas uma tentativa de choque contra o status quo vigente. Aquela retrospectiva permitiu a constatação de que era muito mais do que isso. Mapplethorpe fotografa flores e paus [pênis, plural] com o mesmo ardor sacro com que despe santos. Fotografa(va) corpos nus de mulher com a mesma premência com que fotografava a si próprio com um chicote enfiado no ânus. Com a mesma delicadeza, por exemplo, com que Arthur Rimbaud enfiava ali pelo final de Vênus anadiomene os versos finais “Com a bela hediondez de uma úlcera no ânus.” Lembrar Rimbaud não é bem acaso: era o poeta, ícone preferido de Patti Smith, a cantora, que viveu com Mapplethorpe anos de miséria e glamour, quando sonhavam ser artistas [reconhecidos]. A história dessa amizade eterna foi contada pela própria Patti no belíssimo Só garotos [Companhia das Letras, 2010], tão importante foi para a artista que ela preferiu dedicar-se a escrever a biografia deles dois, passando inclusive por cima da sua história de amor com Fred Smith. Não acaso, também, Patti escreve sobre uma das muitas vezes que Robert a fotografou:

Até hoje quando olho para essa foto, nunca me vejo. Vejo nós dois.

P.S. Divaguei, ao tentar [sic] justificar a possibilidade de ilustrar a croniqueta Quando me apeguei, a você meu coração, aí ao lado, com outra das muitas fotos de Mapplethorpe sobre flores. É porque.

2 Já Comentaram para “Quando eu me apeguei a você, meu coração, | Outra foto”

  1. paulo procópio disse:

    Hola Mário,

    O texto avivou imagens e lembranças no empoeirado bau da memória.
    Patti Smtih é uma deusa legitima do rock’n'roll. O disco Horses foi uma biblia na minha vitrola nos anos 70. Ainda guardo comigo um livro com suas canções e poemas. Robert Mapplethorpe sabia das coisas. Andy Wharhol o tinha como amigo e fotógrafo predileto. Valeu!

  2. kamila disse:

    simplismente lindooh *-}

Deixe um Comentário