O maremoto de cada um

2 de março de 2010

Costa do Chile, sábado passado, na visão do astronauta

O fim-de foi bastante animado. “Intenso”, preferem outros.

Enquanto meio mundo esperava que um tsunami (ou maremoto) engolisse o Havaí, cerca de quatro centenas de twitters (ou tuiteiros)– a maioria de ou vivendo em Natal – se preparava para um encontro dito histórico numa pizzaria.

Naquele sábado, o Chile tinha acordado sobre escombros e o mundo descobria que o país de Pinochet, Neruda e Isabel Allende, tinha know how (norráu) no assunto.

Como a Terra hodierna é uma merreca desprovida de distâncias, a pizza do senador Arthur Virgílio (presença maior do tal twittencontro) ficou mais próxima do que se esperava de Concepción, no Chile, e do arquipélago do Hawaii – que, aliás, chamava-se, originalmente, Ilhas Sanduíche. Então, é isso: Arthur Virgílio era o recheio de um sanduíche composto por dois pãezinhos: de um lado, o terremoto chileno, do outro, o maremoto havaiano. Isso tudo numa pizzaria, destino final da política brasileira.

No mesmo sábado, o astronauta japonês Soichi Noguchi, em giro ao redor do planeta numa estação espacial, publicava fotos do Chile desde o espaço. Eu esperei o dia inteiro que ele enviasse alguma foto do twittencontro, mas o japa nos ignorou solenemente.

@Astro_Soichi – como se apresenta – merece um parágrafo à parte: no sábado do terremoto-maremoto-twittencontro tinha 95 mil seguidores – dois dias depois, mais de cem mil. O interessante é que o rapaz segue apenas três twitters: os também astronautas Jeff Williams (@Astro_Jeff) e Timothy J. Creamer (@Astro_TJ) e a JAXA (Japan Aerospace Exploration Agency).

Aqui na Terra, na rodada de pizza e na carência de astronautas, tínhamos astros – todos, aliás, um tanto quanto distraídos: o deputado Robinson Faria (cerca de 2,8 mil seguidores), eternamente distraído, os senadores Garibaldi Alves Filho (3,5 mil e que, na falta de um batizado ou de um velório compareceu todo risonho), e Arthur Virgílio (4 mil), que foi obrigado a ouvir da Sabrina Sato “real” (as pessoas ditas importantes precisam agregar o adjetivo ao nome de usuário a fim de não se confundirem com os fakes,) pergunta pra lá de vulgar: se o nobre senador tuitava ou não “no trono”.

Ou seja, em poucas palavras, se ele cagava enquanto tuitava, ou se tuitava enquanto cagava.

A resposta? Tanto faz. Diante de tanta leseira, melhor mesmo é seguir o astronauta japonês. Esse ao menos tem a cabeça literalmente nas nuvens.

Um Já Comentou para “O maremoto de cada um”

  1. luciana disse:

    Estou entrando de férias e ganhei duas cortesias para o havaí, mas estou com receio de viajar para o havaí por causa desses terremotos que vem acontecendo.

Deixe um Comentário