no final das contas é sempre …

13 de setembro de 2010

no final das contas é sempre uma questão de números.

Um Já Comentou para “no final das contas é sempre …”

  1. Jarbas Martins disse:

    sim, meu caro mario ivo. desde que o erudito alemão ernst robert curtius me pôs na cabeça que a composição númérica, depois de atravessar a idade média, a antiguidade, e chegar até aos tempos bíblicos, e depois de me dizer que essas coisas metidas a numerologias, estéticas onde aparecem vestígios da matemática, permutações, cabalismos, coisas afins, e dizer que o projeto de deus era aritmético e coisa e tal, me entreguei a estudar o soneto norte-rio-grandense. e venho, por essa razão (ou desrazão) me resignando aos poemas dos catorze versos. há catorze anos, e mais alguns meses, estou preparando uma segunda edição de minha antologia 14 versus 14. o ano que entra meu trabalho atingirá dezesseis anos, que equivale ao número de versos de um soneto, acrescido de dois versos a mais, e aí temos um chamado soneto estrambótico.agora, mario ivo, corroborando o que disse curtius sobre o plano aritmético de deus, e depois do império de formas numéricas como soneto de petrarca, e da força dos tercetos de dante alighieri, e da alastrante presença das décimas e quadras poéticas populares da literatura escrita, oral e multimidiática…surge a poética dos 140 caracteres, que é o twitter. e lá me vou pescando poemas escritos aqui no teu site em forma
    de tweets. e viva essa nova composição numérica e poética que é o tweet.

Deixe um Comentário