Marretas, porretas, picaretas

18 de maio de 2010

A novela – mal escrita, mal encenada, mal protagonizada – sobre a capitania de João de Barros, Cidade dos Reis, Nova Amsterdã, Natalópolis, enfim, Natal, sediar dois jogos da Copa Mundial de soccer, é tão antiga que repesquei e espanei um texto datado 5 de fevereiro de 2009 e publicado na minha defunta coluna do defunto JH 1a edição.

Há mais de um ano a discussão era praticamente a mesma: derruba ou não derruba o Machadão, sem nenhum avanço significativo no obrar de fato. A turma a favor se incomoda muito com a turma do contra, como se esta fosse capaz de mudar o rumo dos acontecimentos – a FIFA não escolheu? A FIFA decide quem fica e quem não fica – e duvido que vá levar em conta a opinião de dois ou três chatos ladrando ao passar da carruagem.

A discussão não é ridícula – o debate é necessário. Ridículo é a turma a favor usar a do contra como bode expiatório para o que não foram capazes – ou competentes, ou responsáveis – de levar adiante.

Segue a coluna daquele dia – que, por sinal, caiu numa quinta:

Natal devastada

Ômi, querem saber? Destruam logo tudo. Botem abaixo não apenas o Centro Administrativo e o Machadão e o Machadinho. Aproveitem e venham deitando por terra tudo que se levante a dois palmos do chão na direção do Atlântico. Uma turma vem pela Salgado Filho em direção à Hermes da Fonseca, outra vem pela Romualdo Galvão, uma terceira pela Prudente de Morais.

A que vem pela Romualdo há de vir mais ligeira, que agora a Prefeitura Butterfly acabou com o estacionamento ao longo do meio-fio, no que obrou muito bem – e o digo com todo louvor, respeito, seriedade e espírito cívico. Ali, vejamos, não tem muita coisa pra botar abaixo, não. Pra provar que falo sério e desprovido de outros interesses, podem começar pelo Villaggio di Roma, onde tenho até um apartamentozinho que pretendia deixar paras as meninas, mas, sacrifico a herança em nome do progresso. Na seqüência, derrubem as duas concessionárias de automóveis, um colégio que dizem ser da elite, e, lá pra frente, a clínica psiquiátrica do meu ex-professor Severino Lopes e a TV Tropical de Zé Agripino e Jânio Vidal.

Na Salgado Filho tem mais coisa boa de se derrubar: a começar por aquela caixa de biscoito rococó-moderno que é um templo evangélico ou coisa que o valha. Depois, a Fiern, onde, dizem, reina nossa brava indústria de pães, bolachas e pirulitos; pegando pelas esquerdas, o Portugal Center (que nos traz a duvidosa lembrança dos antigos colonizadores deste quinhão de terra), mais concessionárias de automóveis (ô terra pra se vender carro!), um supermercado, a Faculdade de Odontologia (já bastante deturpada, ofendida e vilipendiada por aquela grade horrorosa); e, quando a avenida se transforma na velha 15, o Bar do Expedicionário (pena, mas estão todos mortos ou quase) e, maravilha das maravilhas, o Midway Mall.

Não se esqueçam de derrubar este último com um monte de gente dentro, pra economizar no processo. A Etfrn, nem se fala, o Walfredo Gurgel – viva! acaba-se, enfim, um problemão medonho –, a Caern, o 16 RI, o Museu Câmara Cascudo, a Aabb, o escritório de Diógenes da Cunha Lima (desculpa Diógenes, é necessário), a Escola Doméstica, e por aí vai: o estádio Juvenal Lamartine, o edifício de nome mais bonito – o Étoile –, o mercado de Petrópolis, enfim, esses troços todos que só atravancam o progresso e os interesses de nossas bravas construtoras.

Quando chegarem na pancada do mar, nem se preocupem: já tá tudo caindo aos pedaços, mesmo, basta uma empurradinha pra depois do calçadão – já destruído.

Depois, é só virar os bulldozers na direção oposta ao epicentro, ou seja, Machadão-Machadinho-Centro Administrativo.

3 Já Comentaram para “Marretas, porretas, picaretas”

  1. Leno disse:

    Se Natal não levar o troféu da Copa , pode já estar garantido o seu troféu de campeã da Imbecilidade Urbanística nacional.Como “Nunca na história desse país”.E com aprovação dos aborígenes deslumbrados.
    Leno Azevedo

  2. Alex de Souza disse:

    ômi, quem foi o gênio que criou essa passeata das marretas? TP?

  3. Luana disse:

    Foi não, Alex. Foi Fábio Faria, numa enxurrada de posts no twitter no fim da noite de terça-feira.

Deixe um Comentário