la cura

20 de janeiro de 2013

La terra trema, Luchino Visconti, 1948

Quando me despedaço,

Quando me despedaço não é com os dentes.

Quando me despedaço não é com os dentes que me despedaço.

– é com os lábios.

Quando me despedaço é com os lábios.

Quando me despedaço é com os lábios que me despedaço.

 

Quando me despedaço

– a língua me cicatriza.

4 Já Comentaram para “la cura”

  1. Paulo Procópio disse:

    ok!

  2. Cyntia Menezes disse:

    O quase anônimo Bruno Azevedo escreveu que LER É DESPEDAÇAR-SE. Afirmou que as letras postas no livro devassam nosso ser até que não reste mais nada a ser feito. Sem grandes esperanças resta-nos reduzidos e consumidos (despedaçados) ficar e se abrigar. Nada mais que isso.
    Seus textos (exceto o do coelhinho da páscoa que queria dar…dar alguma coisa) me despedaçam. Reduzida e consumida me abrigo. Nada mais que isso…

  3. Cyntia Menezes disse:

    O quase anônimo Bruno Azevedo escreveu que LER É DESPEDAÇAR-SE. Afirmou que as letras postas no livro devassam nosso ser até que não reste mais nada a ser feito. Sem grandes esperanças resta-nos reduzidos e consumidos (despedaçados) ficar e se abrigar. Nada mais que isso.
    Seus textos (exceto o do coelhinho da páscoa que queria dar…dar alguma coisa) me despedaçam. Cicatrização? Talvez precise…
    Ou não…

  4. Ana Laura disse:

    Não sou crente, menino, mas me senti arrebatada por isso. Toda vez q venho aqui é assim, fico fervilhando, parece que fui tomada.

    Lindo.

Deixe um Comentário