Dia da Poesia, 14 de março de 2011, Sanderson Negreiros

14 de março de 2011

3

Não só querer-te só, mas desvendar

em ti a razão de contemplares

a vida em ânsia de beleza e cor

como se do trágico de amar-te

restasse um instante maior de amor.

Estar ao teu lado, apoiando-me no

futuro, ou viver na presença de teus

gestos, gastos de tão profundos

que vincam a face de lembranças

doces de pastor, arredio e soturno,

que sempre guia ovelhas mas por uma

delas, deixa-se morrer de amor.

[Sanderson Negreiros – 3o Livro – Fábula fábula – 2a parte: os gestos]

2 Já Comentaram para “Dia da Poesia, 14 de março de 2011, Sanderson Negreiros”

  1. @ricardocamposs disse:

    Mas o meu poeta mais querido é Ferreira Itajubá:

    “Seja o mais leve inseto, a laje mais pesada,
    Tudo se decompõe na efemera jornada.
    Não há bronze que ature os arrastos tiranos
    Da cheia assoladora e indomável dos anos”.

    “É a morte soberana, o lodo nivelando
    O tempo destruindo e o tempo edificando.
    Falemos do painel de tintas desbotadas…
    Quantos vestígios mil de coisas acabadas!”

    (Prestigio você, que não me prestigia…)

    Abraço,
    Ricardo.

  2. Jarbas Martins disse:

    bela escolha, mario ivo, prara comemorar o dia da poesia.

Deixe um Comentário