De rerum natura

28 de abril de 2010

A natureza é mesmo pródiga: tem sempre uma mulher bonita atravessando a rua.

3 Já Comentaram para “De rerum natura”

  1. Jarbas Martins disse:

    a natureza como sabemos é pródiga, mas não ao ponto de vermos sempre uma mulher bonita atravessando uma rua.tive a oportunidade de testemunhar essa epifania uma única vez. foi em angicos nas vésperas da eleição de getúlio vargas. tinha vindo de trem de natal para passar umas férias. da janela da casa de minha avó, sentinela e guardiã da udn, apareceu-me, na flor dos 17 anos, o vulto fatídico de uma prima. nos seios em flor um broche com a efígie de getúlio. não sei se a alegria que estampava no rosto era de alegria por me ver, menino magro e com cara de coroinha. seu sorriso subliminar mandava-me mensagens do mal. a sua carne morena, flor de rebeldia, desafiava todo um clã, desenterrava ranços antiquísimos, fantasmas de bisavós reprovando todas as insurreições do corpo e da alma. minha prima era impunemente linda. vi-a, em seu esplendor de anjo lascivo, uma única vez. casou-se com um forasteiro que a levou para os sertões do seridó.deu-lhe filhos, a promessa de fidelidade à causa trabalhista, e talvez nem se lembre que, atravessando a rua, despertou num quase adolescente uma dúvida: se a beleza, como o sol,
    é sempre pecaminosa e triste.

  2. Leonor disse:

    contam que uma prima de João Cabral transmudou-se numa faca só lâmina

  3. Jarbas Martins disse:

    lindo, leonor. bjs.

Deixe um Comentário