Calmaria

17 de dezembro de 2010

Erin Kennedy, s/d

Depois da tempestade, a bonança, reza o dito, tal.

Pois. Vez em quando, diante do tempo bom que grassa na meteorologia oficial, há de se externar tempestades interiores.

Tipo: chutar o pau da barraca – especialmente quando pau e barraca alheios.

Tipo: enfiar o dedo na venta, o pé na canela, o chute no saco – idem.

Tipo: regurgitar sapos – bulimia atávica e auto-imposta contra batráquios de qualquer subespécie.

Tipo: apertar o botão do F O D A – S E – em fast forward.

Feito isso, meninos, meninas, é gozar da placidez do céu azul e botar a alma no quarador.

Modo Secagem Rápida.

Imprevisão do tempo.

Um Já Comentou para “Calmaria”

  1. Lari disse:

    “botar a alma no quarador.”
    Botar a alma p’ra quarar?
    E se não tiver sol?
    Mesmo que não esteja sol?
    Vou roubar pra mim, quarador de almas.
    Váááááá…quarar! Besos!

Deixe um Comentário