Cadernos de caligrafia: Magalhães

3 de junho de 2010

Reestréia hoje – e segue amanhã e sábado – o espetáculo Entre nós (Prêmio Klauss Vianna/FUNARTE 2008).

No Teatro da Casa da Ribeira, 20h, R$ 16 inteira, R$ 8 meia.

Direção e roteiro por conta de Diana Fontes, assistentes Bianca Dore e Maurício Motta, músicas de Naná Vasconcelos, Marcelo Camelo, Elgar e Kreisler, e com Álvaro Paraguai, Danielle Flor, João Alexandre, Jeane Souza, Manuelle Flor, Manoel Albuquerque e Marcelo Ximenes no elenco.

O texto é de Claudia Magalhães. Um aperitivo, antes das três noites:

Possuo uma crueldade excepcional que, quando adormecida, cede lugar a uma ternura intrigante, curiosa, que me entorpece, me alivia. Sou escravo dessas duas realidades. Elas me fazem nascer e renascer, todos os dias, e me tornam humano. Sempre que atravesso a delicada e invisível fronteira que as separam, sou tomado por uma espécie de estupidez execrável que, com o passar dos anos, me fez perceber que o espaço que separa a vida da morte é feito de silêncio, do simples quebrar de um salto, de uma brevidade não medida pelo tempo. Somos movidos por uma bomba-relógio chamada coração, cujo controle não nos pertence. Deixei de sentir revolta, aprendi a não brigar com o que desconheço, perdi o sentido do pecado.

Juro pela minha alma que a partir desta noite a minha boca me será fiel. Vou agradecê-la pela dedicação, amor e carinho de todos os dias… Trocaremos inúmeras declarações de amor e caminharemos juntos, sem competição, na mesma velocidade, como quem segue a própria imagem num espelho. Faremos amor com o céu ao alcance das mãos e comeremos estrelas.

Um Já Comentou para “Cadernos de caligrafia: Magalhães”

  1. Jarbas Martins disse:

    vê lá, mario ivo, me faça esta correção

    você é escritora até debaixo das águas raras do rio pataxó. beijos, claudinha.

Deixe um Comentário